Contos

"Lua cheia, noite escura.
Hora de contar, hora de ouvir.
Abra os seus olhos para um mundo fantástico.
E deixe-me conduzí-lo através de fragmentos de sonhos e pesadelos.
Entre, seja meu convidado..."

"Jaques olhou mais uma vez para Ana. Sentiu apenas uma sensação incontrolável de fastio. Não agüentava mais as súplicas, os lamentos, a sua voz sempre pedindo, pedindo por amor."
"Maya olhou para o céu noturno através da porta que dava para a sacada e sentiu que esta noite a lua não iluminaria seus passos. Não gostava de lua nova."
"Rose Mistral olhou para o relógio de pêndulo na parede. Maravilhosamente antigo, esse negócio de ser pontual. Gostaria de ter nascido inglesa. Batendo ponto como um velho e confiável Big Ben. Mas tinha nascido em São Paulo, no bairro da Aclimação. Ajeitou a jaqueta de vinil preta e calçou os coturnos de solas grossas. "
"Ambiente esfumaçado num bar.
- Professor, o que um cara bacana como você faz num buraco destes?
- Estudo a espécie humana, querida. Sou um estudioso, um cientista, se me permite a expressão."
"Sempre fui um sujeito decente e jamais pensei em me meter em apuros que não pudesse contornar. O que faz um homem como eu, resolvido, adulto, bonitão e politicamente correto entrar numa fria? Bem, vou lhes contar e me digam o que vocês acham."